Não cometa esses erros!

Muitas vezes pela vontade de querer fazer o certo cometemos alguns erros e isso não é apenas no nosso TCC, mas durante a nossa vida.

Tudo que vou falar aqui não é com o intuito de desmotivar ou dizer que seu trabalho está todo errado, mas sim um alerta: Se você está fazendo algumas dessas coisas, fique atento.

Algumas questões colocadas aqui são do próprio idealizador do TCC SEM DRAMA, outras são de vivências pessoais durante o meu percurso no TCC.

Mude seu pensamento e seu comportamento

Muitas pessoas acham que é besteira, porém, seu comportamento é muito importante, se você pensa: “Ah eu não vou conseguir, eu não sou capaz”. Por mais que você não acredite nisso, o seu comportamento influência muito, o seu cérebro acaba tomando isso como verdade. Principalmente na apresentação final.

Comigo isso já aconteceu, você pode estar em uma mesa, alguém colocar ouro, diamantes, dinheiro e um bicho que você ache nojento.

Eu te pergunto: O que você está vendo? Dependendo seu estado de espírito, o estado da sua mente, você irá falar: Um bicho nojento. Você acaba olhando em sua vida ou sobre algo, somente o que é ruim.

As coisas boas se fecham completamente para você. O pensamento positivo é comprovado que faz muita diferença: Só não faça o que eu fazia algumas vezes: “Eu acredito em mim, mas tenho minhas dúvidas…calma…Não posso pensar assim… Eu realmente acredito em mim, eu sou capaz, eu vou conseguir…Será?…acho que sim”.

Acredite de verdade em você.

Plágio

Sim, o plágio é crime, algumas pessoas pensam que para evitar o plágio é apenas pegar uma frase, usar sinônimos, trocar palavras e pronto. Muita gente pode questionar: Mas se alguém escrever “O céu é azul por  tal motivo”. Como explicar isso mesmo que com minhas palavras sem ser plágio?

Se é alguma comprovação, descoberta, datas, pesquisas ou algo relacionado a terceiro, você precisa usar citações. Mesmo que seja com suas palavras. O que você escreveu foi sua interpretação ou entendimento da ideia de uma outra pessoa.

Você não pode apenas dizer que o céu é azul por tal motivo com suas palavras, você tem que comprovar, da onde você tirou isso.

Muitas pessoas já tiveram seu diploma caçado por descoberta de plágio mesmo depois de formado. Você pode ter as melhores intenções do mundo, mas se não usar citações, infelizmente, você estará roubando a ideia de alguém, pois se você coloca no papel sem ser como citação, você está dizendo que aquela ideia é sua, mesmo não querendo.

Os dois pilares que sustentam o método TCC SEM DRAMA:

Tempo demais atrapalha o seu TCC


Informação demais atrapalha seu TCC

Não terceirize seu TCC!

Nos dias de hoje quem faz faculdade também trabalha, é difícil hoje em dia estudar sem precisar trabalhar

Isso faz com que não tenhamos tempo para nada, estudar, ler, escrever, entender etc…

Isso faz com que muitas pessoas comprem TCCs prontos, ou paguem alguém para fazer seus TCCs, ou pior.

Agora, pensa comigo, vamos pelo lado “moral” da história. Ao se formar, significa que você está pronto para exercer sua profissão, certo? Se o método de avaliação é certo ou não é outra questão.

Eu pergunto a você: Se você fosse fazer uma cirurgia e você descobrisse que o cirurgião se formou de uma forma incorreta, você confiaria nele? “Ah mas ninguém vai saber”, pode até ser, porém, como disse, estou falando do lado da “moral”.

Vamos para o outro lado. Muitos avaliadores ou professores conhecem os alunos e sabem a forma dele escrever ou dizer uma ideia.(Não estou falando de quem paga um professor de língua portuguesa para arrumar erros de concordância, ortográficos etc). E por mais que você leia todo o TCC feito por alguém, entenda, decore, enfim, você pode ser pego sim na hora da avaliação ou até mesmo pelo seu orientador.

Também não utilizem softwares para escrever seu TCC por você. Muitas pessoas entram nesta roubada, e se seu orientador realmente corrigir seu TCC você pode se dar muito mal de verdade por isso.

Não existe software que substitui seu trabalho intelectual.

Hããã… éééé…Bom….Ta…Tipo…Daí… Entenderam?

Nesse tópico ao invés de escrever um título, eu resolvi por os vícios de linguagens que cometemos principalmente quando estamos nervosos.

Essa etapa será uma dica, porém um incentivo também.

Durante meu curso, as apresentações dos meus trabalhos eu usava muito esses vícios de linguagens, geralmente usamos quando estamos pensando o que falar em seguida, que significa que não estamos preparados para aquela apresentação.

Eu sou tão tímido que não consigo nem falar para o espelho, o que eu fiz? Exatamente isso, falei no espelho.

Só estava eu, por mais que eu tivesse vergonha de mim mesmo, só estava eu, ninguém no mundo iria mais saber o que eu fiz, utilizei isso para vencer uma parte deste medo.

Comecei a imitar um vendedor da Polishop, para me descontrair e ver que não era nada tão pavoroso assim.

Assim, fui treinando a apresentação, com um relógio, meu notebook e a apresentação aberta. Chegou o grande dia, eu gravei minha apresentação, resultado?

Não usei nenhum vício de linguagem, falei com clareza, em nenhum momento olhei para a apresentação que estava atrás de mim, sempre olhando para frente, sabe que meus avaliadores falaram? Como gravei vou dizer exatamente o que foi dito.

“Durante o curso eu fui seu professor e vi diversas apresentações suas e estava realmente com medo, porém, quando você começou eu me perguntei, ué o que aconteceu? Eu realmente me impressionei, em nenhum momento você olhou para os slides e passava os slides e falava, No slide podemos ver os resultados…Dava para ver que você sabia o que estava na tela e o que vinha depois”